Portal   |   Hospedagem   |   Pesquisar  
Registrar  Entrar
Índice do fórum Espaço dos usuários Papo Cabeça


Siga-nos:
Siga lnxtotal on Twitter

Patentes, qual deveria ser o seu limite?

   
Assuntos Off-Topic que te façam parar, pensar e refletir.

Moderadores: Fundador, Moderadores

Patentes, qual deveria ser o seu limite?

Mensagempor Makinary » 24 Nov 2010, 13:34

Numa sociedade pós industrial, as patentes são um fator bastante marcante, principalmente pelo fato de que pode-se ganha muito dinheiro com elas.

Existem pessoas que defendem a sua total extinção, outras são completamente a favor e outras tem uma opinião menos extremista. Eu pertenço ao terceiro grupo.

Eu acho perfeitamente válido qualquer patente que não comprometa a evolução cultural e tecnológica, como por exemplo: o personagem Louro José, criado pela apresentadora de televisão Ana Maria Braga; nesse caso, a patente serve para manter a identidade da artista e para dar-lhe um diferencial, essa patente não comprometerá ninguém e nem atrapalhará o progresso cultural.
O que eu sou contra é patentear ideias, já imaginou se fosse patenteada uma técnica de ensino ou uma receita de bolo? Trazendo isso para o nosso meio, é o que ocorre com o mundo dos softwares(um software é formado a partir de um código fonte, um código fonte é uma ideia), já tivemos casos de patentes de duplo clique e outros mais que eu não me lembro.

Sobre o outro grupo, os que defendem a extinção das patentes, eu acho essa uma visão bastante radical, há quem defenda que o nome do(a) artista da obra seja "esquecido", ou seja, o(a) artista cria uma obra, mas ele(a) não poderá dizer que é seu. Eu por exemplo, escrevo livros de ficção(apesar de ainda não ter publicado nenhum), todos eles(quando estiverem prontos) serão lançados sob licença creative commons, qualquer um poderá baixa-los e eu quero ser reconhecido pelo o meu trabalho, e quem sabe ganhar algum dinheiro com ele.

O mundo está mudando, o crescimento da internet exige mudanças, a cultura deve ser mais livre de patentes. Para quem é dono de algum blog, desenvolve sites amadores(e também profissionais), escreve livros, muitas vezes se pega na paranóia de que se está violando alguma patente e tem medo de ser processado. O meu ex-professor de redação estava escrevendo um livro(que já terminou e eu já adquiri uma cópia) sobre técnicas de redação, ele me contou que em seu trabalho ele estava preocupado se os textos que ele adicionava violavam alguma patente.
Eu não estou dizendo que as imagens, os textos, trechos de filmes e qualquer outra coisa deva ser largada na anarquia para que qualquer um possa usar como queira, o que eu acho é que deva existir bom senso. O ideal seria que qualquer um pudesse adicionar o conteúdo(imagens, vídeos, etc) em seu blog/site/livro sem pedir autorização, desde que mostrasse a fonte de tais conteúdos, isso não irá roubar os clientes dos produtores desses conteúdos, como ocorre com os downloads ilegais de filmes, e muito menos irá empobrecer eles. O bom senso deve imperar, uma coisa é adicionar na capa do seu livro a imagem de um lobisomem de um filme qualquer para fazer uma história sua e outra é adicionar a imagem do Picachu e fazer uma história baseada no mundo Pokémon. Outro exemplo: um autor de livros tem uma espécie de mascote ou logotipo que ele coloca em seus livros, como uma marca sua, aí sim seria justo o autor proibir outras pessoas de adotarem sua marca.

Minha opinião é essa galera, exponham as suas e vamos nos enriquecer num debate.
Imagem
Avatar do usuário
Makinary
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 1552
Registrado em: 25 Set 2010, 23:39
Localização: Histórias
Distribuição Linux utilizada: Mandriva

Voltar para Papo Cabeça

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante

cron